Conheça o 'Stonehenge brasileiro', um monumento milenar pouco conhecido

10 comments

Todo mundo conhece o famoso Stonehenge localizado no Reino Unido, certo? Mas o que pouquíssimos brasileiros sabem é que existe um monumento comparável aquele do sul da Inglaterra, mas a diferença é que ele se encontra aqui mesmo, em nosso país.

Localizado em Calçoene, no interior do Amapá, encontra-se o "Stonehenge brasileiro" , ou "Stonehenge do Brasil", como é chamado.


O local tem o nome de Parque Arqueológico do Solstício, onde abriga o monumento Observatório Astronômico de Calçoene.




A estrutura é circular, feita por blocos de granito de aproximadamente 30 metros de diâmetro, e era o local de cerimônias indígenas há cerca de 1.100 anos.


Segundo os pesquisadores, essas cerimônias aconteciam entre os dias 21 e 22, durante o solstício, quando a configuração das pedras permitem observar o percurso do Sol. Além disso, o local era usado para enterrar grandes personalidades da tribo. Os arqueólogos também encontraram artefatos como vasos, pratos e tigelas de cerâmicas no local.

As técnicas utilizadas na construção do "Stonhenge do Brasil" são desconhecidas, assim como aquelas utilizadas na construção de outros monumentos parecidos, espalhados ao redor do mundo.



As primeiras observações arqueológicas no Stonehenge brasileiro foram feitas no fim do século 19, mas o sítio acabou ficando esquecido com o tempo. Somente em 2005 que ele começou a ser explorado novamente, e hoje, o órgão responsável pela preservação do local é o IEPA (instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do estado do Amapá).



Mas infelizmente, o fato mais curioso de todos não é nem a construção em si, mas sim o fato que pouquíssimas pessoas sabem sobre a existência desse monumento... Futuramente o governo deseja transformar o local em um Parque Arqueológico aberto para visitação.




Gostou? Então curta nossa página no facebook.
Você vai adorar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 comentários:

  1. Gostaria de andar por lá !Muito interessante !

    ResponderExcluir
  2. Deve ter uma energia incrível!
    Espero que abram logo, mas mais ainda, que seja respeitado!

    ResponderExcluir
  3. Deveriam reflorestar em volta. Basta observar a quantidade de árvores derrubadas.

    ResponderExcluir
  4. Irei consultar os "sábios" da CIPA da Regional de Mato Grosso do Sul -RMMS !

    ResponderExcluir
  5. Existem vários monumentos em toda a amazônia, poucos também deram importância às fotografias da Nave Atlantis americana e as observações de foto interpretação, incluindo diversas pirâmides... (aliás, uma também encontrada na divisa de SP com PR e que está em estudos).
    Desculpem, mas minha opinião é que todas estas construções em pedra, do que restou de pedra sobre pedra, não são desta atual civilização, mas da extinta Atlântida, cuja datação seria de cerca de 75 milhões de anos (e a ciência estimava em incidentes de 60 milhões de anos, até erraram por pouco na época). Sim, incluindo Machu Pichu e toda a extensão até o Canadá. Provas: Biblioteca de pedras encontradas por um médico no Equador, e a famosa 'pedra branca' na Rússia, com datações etc...

    ResponderExcluir
  6. I wish this was in English so I could understand. :-(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hi Christine!

      You can translate it in Google Translator website, or by your own internet browser.

      Anyway, soon we will provide a translation tool to make it even easyer.

      Kind regards from Brazil!

      Excluir