Planetas fantasmas: eles pareciam estar lá, mas surpreenderam os cientistas

4 comments
Planetas Fantasmas - Os Exoplanetas que podem não existir

Exoplanetas são aqueles mundos muito distantes, fora do nosso Sistema Solar, que giram em torno de outras estrelas no Universo, e todos estavam felizes com as várias centenas desses exoplanetas já encontrados e catalogados, conforme noticiado em vários sites especializados em astronomia.

Até que um grupo de cientistas liderados pelo astrônomo Paul Robertson da Universidade da Pensilvânia divulgou uma descoberta bombástica que teve o efeito de um terremoto no meio científico: muitos dos exoplanetas já detectados e confirmados podem ser apenas uma ilusão!

Descoberta de Exoplanetas

Os "planetas fantasmas" seriam falsos positivos de nossos meios detecção, e muitos deles podem nunca terem existido de fato.

Esse seria o caso de pelo menos 3 planetas do sistema da estrela Gliese 667, por exemplo, que inclui até o famoso planeta Gliese 581g, um planeta muito parecido com a nosso, e que poderia até abrigar vida.




Ele foi até chamado de "Super-Terra" pois seria 3 vezes maior que o nosso planeta, mas depois das descobertas da equipe do Dr. Robertson, cientistas temem que ele seja apenas uma ilusão...

Terra e Gliese 581g - Comparação de tamanhos

Toda confirmação da existência de um exoplaneta se baseia principalmente na detecção conhecida como "bamboleio gravitacional" (oficialmente 'medição de velocidade radial), quando um estrela oscila, como se estivesse "balançando" em seu eixo por causa da influência de um planeta ao seu redor.

Método do Bamboleio Gravitacional para detecção de exoplanetas
Método de detecção através do bamboleio gravitacional (medição de velocidade radial)

O problema é que a equipe da Universidade da Pensilvânia alega ter descoberto que o método do bamboleio gravitacional, quando utilizado sozinho,  não é 100% seguro.

As estrelas podem emitir falsos positivos, que surgem de sua própria atividade, e não pela influência de um objeto ao seu redor.

Esses sinais poderiam mostrar planetas que não estão lá de verdade, e seriam apenas fantasmas gerados por eventos gravitacionais da própria estrela.

Planetas fantasmas - Exoplanetas que não existem

É importante lembrar que as descobertas do satélite Kepler (responsável por mais da metade das detecções já realizadas) não estão sob suspeita, já que ele utiliza outra técnica, baseada na medição da diminuição da luz das estrelas quando o planeta passa a sua frente, porém ele pode estimar apenas o tamanho do objeto e não a sua massa, e por isso a técnica do bamboleio gravitacional é importante, pois pode revelar a massa do planeta, e assim podemos dizer se ele é rochoso ou gasoso por exemplo.

Método do Trânsito planetário
Método de detecção através do Trânsito planetário

Os cientistas agora acreditam que a forma mais confiável para se detectar planetas distantes, seja usar as duas técnicas em conjunto, detectando a passagem do planeta através do método do Kepler, e o bamboleio que já utilizavam antes, e assim evitar erros e detecções fantasmas.




Gostou? Então curta nossa página no facebook.
Você vai adorar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Eu discordo desses cientistas!...Acho que são Planetas com constituição mais sutil e acredito que existe vidas nesses Orbes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah vc discorda, legal vc estudou pra caramba física...

      Excluir
    2. Ah vc discorda, legal vc estudou pra caramba física...

      Excluir
  2. Quanto mais métodos melhor! É assim que a ciência trabalha, para corregi erros, pois análises de campo ainda é um sonho!

    ResponderExcluir