Veja essa 'Flor Cadáver' desabrochar! Ou espere mais 5 anos...

3 comments
Veja essa 'Flor Cadáver' desabrochar! Ou espere mais 5 anos...

Ela uma das mais populares atrações da 'Virginia Tech College of Agriculture and Life Sciences', e tem até um apelido: "Stinky Phil" (ou Phil fedorento em português).

Trata-se de uma "Flor Cadáver", ou Jarro-Titã (Amorphophallus titanum), uma gigante nativa da Indonésia, podendo alcançar 3 metros de altura e pesar até 75 quilos.

Flor Cadáver do Virginia Tech College of Agriculture and Life Sciences
Flor Cadáver no Virginia Tech College of Agriculture and Life Sciences - Reprodução Facebook

Essa bizarra Flor Cadáver só desabrocha a cada 5 anos em média, o que já é muito, considerando-se que na natureza essa planta desabrocha apenas 3 ou 4 vezes ao longo de sua vida, que pode durar 40 anos.

E a Flor Cadáver não tem esse nome a toa: quando ela finalmente se abre, libera um terrível odor de carne podre...




Seu odor desagradável tem uma boa razão de ser, já que essa flor gigante sobrevive atraindo insetos carniceiros, como moscas e besouros, que servem de alimento a essa que é considerada por muitos como a maior planta carnívora do mundo.

Flor Cadáver - a maior flor do mundo

Vale ressaltar que essa espécie não é verdadeiramente uma flor, e sim uma inflorescência. A maior flor do mundo de fato é a 'Rafflesia arnoldii', nativa da mesma região, que pode chegar a 106 cm de diâmetro e pesar até 11 kg.

Rafflesia arnoldii -  maior flor do mundo
Rafflesia arnoldii -  a verdadeira maior flor do mundo

E se você achou que não teria paciência para esperar 5 anos ou mais para ver essa estranha flor se abrir em toda sua fedorenta plenitude, não tem problema: o colégio Virgínia Tech fez um vídeo de 36 horas em time-lapse, capturando o raro momento do desabrochar dessa estranha flor, e você terá a oportunidade de ver esse evento tão exclusivo em apenas alguns segundos!





Gostou? Então curta nossa página no facebook.
Você vai adorar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários: