O centenário mistério dos relógios antigos foi finalmente revelado

Leave a Comment
O centenário mistério dos relógios antigos foi finalmente revelado

Esse mistério já dura mais de 3 séculos, e nunca havia sido esclarecido... até agora! Finalmente o mistério dos pêndulos sincronizados dos relógios antigos foi resolvido. Pelo menos é isso que afirma um estudo que reúne dados de diversas pesquisas,publicado no jornal 'Scientific Reports'.

Relógios antigos e o mistério dos pendulos sincronizados

Esse mistério foi registrado pela primeira vez em 1665 pelo matemático e cientista holandês Christiaan Huygens, que reparou o seguinte: Quando dois relógios estão pendurados na mesma parede, não importa como o pêndulo de cada um inicie seu balanço, após cerca de 30 minutos eles estarão perfeitamente sincronizados, balançando em direções exatamente opostas.

Réplica do relógio criado por Christiaan Huygens e seu projeto
Réplica do relógio criado por Christiaan Huygens e seu projeto.

Esse quebra-cabeças foi investigado por inúmeros cientistas, mas nunca havia sido definitivamente explicado.




Foram consideradas diversas teorias, desde correntes de ar que poderiam alterar os movimentos dos pêndulos, até algum tipo de fenômeno magnético desconhecido.

Sincronia de pêndulos de relógios

De acordo com uma entrevista dada ao jornal norte-americano 'The Hunffington Post' por um dos co-autores do estudo em questão, o Dr. Henrique M. Oliveira, matemático da Universidade de Lisboa, finalmente os cientistas parecem ter chegado a uma conclusão sobre esse mistério. Ele explicou que os relógios interagem através de 2 "clicks", o primeiro em uma direção e o segundo na direção oposta, e essa perturbação sonora só acaba quando os dois relógios sincronizam seus clicks em direções opostas, anulando os efeitos dessa "interferência sônica". Segundo o Dr. Oliveira, o físico Dr. Luis V. Melo (que trabalha na mesma universidade e co-autor da pesquisa) testou diversos modelos matemáticos complexos em relógios pendurados em uma estrutura feita de alumínio.

Experimento de sincronia de pêndulos de relógios

As descobertas mostraram que mesmo as menores interações podem se somar e, no final, acabam sendo capazes de sincronizar sistemas mecânicos muito grandes. O Dr. Oliveira acredita que esse estudo é muito promissor em muitas áreas da ciência, já que esse mesmo tipo de interação pode explicar, por exemplo, como as células do coração se sincronizam para criar os batimentos cardíacos, ou mesmo como as células cerebrais interagem para desencadear ataques epiléticos em pacientes com epilepsia.




Gostou? Então curta nossa página no facebook.
Você vai adorar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário